A ALERJ, aprovou dia 11/08 a lei de diretrizes orçamentárias (LDO) de 2021 que inclui o PCCS da Saúde Estadual.

A previsão de receita é de 53,8 bilhões de reais e um gasto de 81,1 bilhões de reais. Um buraco de mais de 26 bilhões de reais.

Depois de acordos costurados pra lá e pra cá, adivinha pra quem sobrou?

O texto original que dizia que a LDO “deverá contemplar o PCCS” mudou para “poderá contemplar o PCCS.” 

Pra bom entendedor um pingo é letra. 

A deputada Enfermeira Rejane (PCdoB) também defendeu o PCCS da Saúde. “Estou nessa casa há nove anos e sempre discutimos a injustiça com os profissionais da Saúde. Todos os anos colocamos na LOA e na LDO a importância de um plano de cargos para estes profissionais. Há pelo menos quinze anos, eles não tem um centavo de reajuste. Entrou governo e saiu governo, de todos os partidos, e a gente não vê esse plano sair do papel”, complementou a parlamentar. 

Aumento? Só de casos de covid-19.

Fonte do grifo: ALERJ